Monuv lança Integração do LPR com sistema Hélios da PMMG
29 de dezembro de 2023

O Hélios é um sistema desenvolvido pela Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG), capaz de receber os dados de movimentações veiculares por meio de uma API. Todas as leituras são verificadas com base no banco de dados das forças de segurança pública e compartilhadas numa rede integrada da polícia militar, com contato e envio imediato das informações, em especial, para as forças do estado de São Paulo e Goiás. Além disso, as detecções são enviadas, também, para o sistema nacional do Ministério da Justiça e Segurança Pública, através do sistema Córtex.

A integração da Monuv com o Hélios permite o envio das leituras de placas de veículos (LPR), de câmeras que estão ativas na plataforma, para a PMMG e toda a rede integrada de segurança pública, assim, essa API tem por objetivo expor uma interface de comunicação entre a Monuv e a Polícia Militar. 

Se qualquer inconformidade for encontrada na placa lida, alertas são enviados diretamente para os policiais militares da região, através da intranet da PM ou aplicativo, agilizando o processo de identificação dos veículos e melhorando a efetividade do monitoramento policial.

É importante salientar que as leituras somente são enviadas para a Polícia Militar, ou seja, a plataforma da Monuv não recebe nenhum retorno sobre a condição das placas lidas e não consegue disponibilizar essas informações para os usuários.

Para utilizar a integração do Hélios, é necessário ter uma licença de LPR ativa e realizar a contratação mensal para cada câmera.

Após a contratação, solicite a ativação enviando o ID da câmera para nosso suporte através do chat, whatsapp ou email suporte@monuv.com.br.

A Importância da Integração com o Sistema Hélios 

O uso do LPR por si só já é uma ferramenta significativa para uma operação de monitoramento, agora, é possível potencializar ainda mais o impacto dessa tecnologia através da integração com o Hélios.

Os principais impactos desse tipo de ferramenta são:

1. Monitoramento de veículos com restrição

  • Com o LPR integrado à base da polícia militar, veículos suspeitos ou relacionados com atividades criminosas seriam identificados rapidamente, permitindo que a polícia responda de forma célere a situações de risco.

2. Investigação de Crimes

  • As informações registradas e compartilhadas pelo LPR podem ser usadas como evidência em investigações criminais, auxiliando na identificação e localização de suspeitos.

3. Integração com Banco de Dados

  • A integração com bancos de dados pode permitir a verificação instantânea, por parte das autoridades, de veículos em listas de procurados, veículos roubados ou suspeitos, melhorando a eficiência das operações policiais. 

4. Aumento da Eficiência Operacional

  • Automatizando a identificação de placas, a polícia pode aumentar a eficiência operacional, liberando recursos para outras atividades importantes.

5. Maior segurança em Locais Estratégicos

  • A instalação de câmeras com detector de placas em locais estratégicos, como entradas e saídas de áreas-chave, pode melhorar a segurança geral da comunidade, além disso, a adição delas na integração com o sistema Hélios potencializa ainda mais essa rede de segurança.

Conclusão

O uso da integração do Hélios contribui para o aprimoramento da segurança pública, aumentando a capacidade de resposta e a eficácia das forças policiais. Independentemente se a câmera de LPR estiver localizada em Minas Gerais ou outro Estado do Brasil, todas as leituras são compartilhadas a nível nacional, criando uma rede de segurança extremamente robusta, e pode gerar um impacto muito positivo para o local que está sendo monitorado, pois, para qualquer inconformidade detectada no cruzamento dos bancos de dados de placas, as autoridades policiais são informadas de forma instantânea para agir.

Ficou com dúvidas? Nosso suporte pode te ajudar. Envie uma mensagem para o suporte através do chat, email (suporte@monuv.com.br) ou WhatsApp (11) 98969-2420.

Seja um parceiro monuv clicando aqui!

Índice

compartilhe

Leia mais…